Para Escritores

Escritores e redes sociais: quais e como eu uso – Parte I

Spread the love

Já faz tempo que eu venho falando nesse site sobre a importância de ter um espaço na internet para se apresentar e interagir com os leitores. Escolher uma plataforma para marcar presença funcionará como uma vitrine para os seus livros, mas não só isso. Através de um perfil você pode compartilhar a sua rotina de escrita, dicas para outros escritores, os livros que está lendo, filmes e músicas preferidas ou suas inspirações. As opções de conteúdo são inúmeras.

Mas qual a finalidade?

Primordialmente, é construir a sua audiência. Você pode me dizer que só está online para vender seus livros, e, tudo bem, o objetivo final é esse e é válido. Mas falar apenas sobre venda, promoções, ou o quanto seu livro é bom não é muito divertido e cansa a vista de qualquer um. Digo, ninguém gosta de entrar na internet só para ver anúncios, certo?

Por isso é importante estabelecer um vínculo com o seu leitor antes de oferecer o seu livro. Não estou dizendo que você precisa abrir a sua vida na internet, nem precisa falar sobre si mesmo se não quiser, mas sim gerar um conteúdo que atraia o seu público, que o entretenha ou que ensine algo a ele, que o envolva no universo do gênero que você escreve ou até mesmo dentro da sua história.

E qual plataforma usar? Preciso estar em todas? Depende. Em primeiro lugar, observe onde está o seu público e quais redes ele mais usa. Se você escreve para adultos, não é muito provável que eles estejam no TikTok, por exemplo. Mas as chances de eles curtirem sua Página no Facebook são boas. Se na sua percepção o seu leitor está em todo lugar, talvez seja interessante manter um perfil em cada um, com estratégia de conteúdo e finalidade.

Para falar mais sobre isso, eu trouxe todas as plataformas que eu uso para interagir com meu público e vou contar como eu uso cada uma delas de acordo com o meu objetivo. Esse artigo será dividido em duas partes e nessa primeira falarei sobre plataformas de textos. Na Parte 2 o tema será redes sociais. Se inscreva na newsletter!

Site

É comum pensar que sites ou blogs não são mais acessados como antes, e tem seu fundinho de verdade. Geralmente, em 2020, o primeiro lugar onde procuramos alguém é no Instagram ou Facebook, mas isso não quer dizer que ter uma página como essa não funcione ou não seja importante.

As pessoas vão procurar o seu site para saber mais sobre você e o que você escreve, por isso tenha uma bio atualizada e completa, e postagens sobre seus livros – com links para compra. Além disso, crie conteúdo relacionado à escrita, leitura, técnicas de marketing para escritores, ou ainda sobre os tópicos que citei acima referentes a algum livro seu especificamente. Ou sobre o que seu público quer conhecer e aprender. Sacie as suas necessidades.

Aqui no meu site você encontra resenhas literárias, dicas de escrita e posts de estímulo à leitura. Também compartilho textos sobre a minha rotina e meus devaneios de escritora.

Você pode usar plataformas pagas ou gratuitas para montar o seu site ou blog. WordPress, Wix e Blogspot oferecem determinados recursos na versão free e você só precisa se inscrever e começar a publicar.

Conheça meus livros

No caso de sites pagos você precisará de um domínio e um serviço de hospedagem, pago mensal ou anualmente. Eu uso o plano intermediário do Hostinger e até hoje tem me atendido muito bem. Se você está começando, eu sugiro experimentar uma das três plataformas que sugeri acima e ir testando o seu público, suas publicações, sua linguagem e a familiaridade com um blog, que precisa de uma constância nas postagens para ir ganhando relevância na internet. Resumindo: ver o que dá certo e o que não dá, e só então partir para uma página com domínio próprio.

Perdi a conta de quantos blogs desses eu tive na vida e se você encontrar um ou outro perdido por aí, não se espante.

A outra sugestão de plataforma para publicação de conteúdo em texto é o Medium.

Medium

Eu não lembro ao certo quando conheci o Medium, mas sei que adorei a praticidade, a objetividade, o sistema e até o layout da plataforma.

O Medium é uma rede social de escritores para escritores, ou de escritores para leitores. As pessoas por lá podem seguir umas às outras e comentar nas publicações, além de aplaudi-las, que equivale ao curtir. Quem está lá, está porque quer adquirir um conteúdo de qualidade, bem escrito e relevante. Isso significa que à medida que você produz você também consome conteúdo excelente. Boa parte do que estou aprendendo sobre escrita criativa vem de lá. Os membros levam o Medium muito a sério, confiem em mim.

A página inicial mostra as principais postagens dos assuntos que mais interessam você, a maioria em inglês, mas o Medium já tem uma vasta comunidade brasileira trabalhando nela e não é difícil encontrar o que você procura, e o mais importante: não é difícil ser encontrado.

Quando comecei a postar no Medium foi de maneira despretensiosa. Comecei a escrever textos autorais sobre a vida, o amor, a sociedade, era quase um diário dos meus pensamentos, e depois passei a publicar as minhas resenhas, só pelo simples prazer de falar sobre os livros que estava lendo. Um dia, comecei a perceber que boa parte dos meus textos estavam em primeiro lugar na pesquisa do Google, e então fiquei uaaaaaau.

Essa semana, por coincidência, um conhecido me procurou no Instagram para dizer que tinha esbarrado na minha resenha de O Apanhador no Campo de Centeio, e quando fui procurar, lá estava ela em primeiro lugar no Google. E nem é uma resenha muito boa, sabe? Fiquei com um pouco de vergonha rs

O que isso quer dizer? Que o Medium tem um ótimo posicionamento dentro do sistema de buscas e quanto mais você recebe acessos, mais ele se torna relevante dentro da internet. Nos últimos trinta dias, meu perfil recebeu 12.500 acessos, um número razoável para me estimular a continuar criando conteúdo e direcionar esses visitantes para o meu site principal e minhas redes sociais.

Leia também 7 dicas de marketing para escritores

Hoje, as mesmas publicações do meu site vão para o Medium, mas com um convite no fim da página para o leitor me conhecer em outras plataformas. E tem sido muito válido.

Por isso, se quiser começar por ele já é um ótimo começo, uma vez que o Medium é gratuito e não precisa de configurações decorativas, suas páginas são todas padronizadas – e bonitas! – e circulam dentro da rede, cabendo ao próprio sistema inserir as suas publicações dentro de um algoritmo de sugestão de leitura. Ou seja, os leitores dentro do Medium podem te encontrar sem que precise muito esforço da sua parte (isso não quer dizer que você não deva se esforçar, hein? Divulgue o seu conteúdo).

Essa foi a primeira parte do artigo sobre as plataformas que eu uso para conversar com o meu público e eu falei sobre as aquelas usadas para conteúdo em texto. Sugiro que experimente algumas delas, pense em que tipo de conteúdo interessa ao seu leitor e mãos à obra! E não esqueça de deixar o link aqui nos comentários que eu quero conhecer <3

3 thoughts on “Escritores e redes sociais: quais e como eu uso – Parte I”

  1. Te encontrei a pouco tempo no instagram e vim direto para o seu site. Gostei bastante! Parabéns pelas postagens, pois tem me ajudado bastante. Não conhecia o Medium, vou dar uma olhada. Estou começando a publicar meus textos no insta e terminando meu blog tbm, com certeza passarei um bom tempo aqui no seu site pegando umas dicas.

    Um abraço!

    1. Oi, Thaiane! Como vai? Nossal, muuuito obrigada pelo seu comentário e sua visita. Fico muito feliz com isso! Parabéns pelas publicações, é um ótimo passo. Vamos trocando por ideias <3

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.